Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

De Ténis e Livro na Mão

Façam o favor de ser felizes!

De Ténis e Livro na Mão

Façam o favor de ser felizes!

2016 Reading Challenge

Outubro 25, 2016

Filippa

capture-20161025-134544.png

 

(Goodreads)

2016 ainda não acabou mas estamos a chegar aquela altura do ano em que começamos a fazer o balanço do que já passou e talvez tentamos umas realizações de última hora. No inicio deste ano, como já é norma no inicio de cada um, propus-me a ler um determinado número de livros. Este ano foram 10, ainda não sei se devo olhar para o copo meio vazio ou para o copo meio cheio. Por um lado acho que é um bom número, acima de tudo é realista, achei que seria um objetivo alcançável e o tempo provou-me estar certa, por outro lado acho que é um número pobre, dez livros soa-me a muito pouco. 

O ano passado tinha por objetivo ler vinte livros e falhei redondamente, fiquei-me pela dúzia e por esse motivo tive de baixar a fasquia este ano. Costumo dizer que preciso de uma vida para ser vivida e outra para ler livros. A verdade é que o número de livros que aparecem na seção "to-read" na minha conta do goodreads é assustadoramente exagerada, impossivel de alcançar e incompativel com o tempo que disponho para uma das coisas que mais gosto de fazer. Sem plano ao inicio este ano acabou por ser o ano de terminar sagas pendentes. Comecei com a trilogia de Belle da Lesley Pearse, autora de quem tinha lido um livro antes destes livros mas só com estes me convenceu verdadeiramente. Suzanne Collins tinha obrigatoriamente de aparecer pois tinha deixado Os Jogos da Fome demasiado tempo sozinho, finalmente fez-se acompanhar do resto da familia, adquiri e li Em Chamas e A Revolta. Pelo meio consegui adquirir o na altura novo livro de Jodi Picoult, uma autora que adoro e sou grande admiradora e devorei-o de uma ponta à outra (se alguém já leu o livro sabe que há ali umas páginas que dão cá uma fome) e pela primeira vez na vida Isabel Allende bateu-me à porta e teve uma conversa muito interessante comigo. 

Harry Potter and the Cursed Child foi talvez o único livro que não consegui esperar pela tradução até hoje, depois de tanto tempo à espera e sinceramente quando já não esperava novidades desse lado, eis que surge este guião da peça que está a acontecer (eu literalmente matava para ver essa peça!) em Londres e eu fiz o meu namorado soltar os cordões à bolsa e oferecer-me o livro. Por fim, e como este foi mesmo o ano de terminar o que tinha pendente, acabei a saga dos Irmãos Rothwell de Madeline Hunter e li os três que faltavam (infelizmente, por mim podia haver mais uns dez que eu lia). 

Acabado o desafio ainda tenho livros na calha que quero terminar ainda este ano, um conjunto de livros que o Expresso lançou sobre Hitler (que estou a ler agora) e começar uma das trilogia de Ken Follett que começa com A Queda dos Gigantes (apanhei-o numa promoção de 50% no continente e nunca na vida o deixaria lá). 

Algo muito óbvio neste desafio? Não li um único autor português este ano e com o que ainda falta muito dificilmente vou ler, algo que definitivamente vai mudar no próximo ano. Metas para 2017? Não me aventuro muito para além dos dez, ainda não me atrevo a ir até aos vinte, simplesmente porque vou achar muito dificil lá chegar. 

 

6 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D