Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

De Ténis e Livro na Mão

Façam o favor de ser felizes!

De Ténis e Livro na Mão

Façam o favor de ser felizes!

Operadora má da fita. Eis o que somos.

Janeiro 29, 2017

Filippa

Se há pessoas que gosto de atender são as mães que não controlam os filhos. Normalmente estes filhos são bebés ainda, andam na casa dos 2-3 anos, já andam como é óbvio e já têm capacidade para pedinchar tudo o que é doce. Sendo o estabelecimento um supermercado, os docinhos bons para os bebés e terriveis para as mães estão colocados "inocentemente" ao pé das caixas, quando as super mães acham que o pior já passou, as crias resistiram ao setor das bolachas, dos iogurtes com smarties ou aquele ao fundo das batatas fritas eis que o demónio as espera na hora de pagar e esse terror nem é pagar, é mesmo os chocolates, os sugus ou as pastilhas. 

Há mães que são bem rigidas (e bem) e quando a criatura bebé começa a pegar em tudo o que é açúcar em forma de tentação elas não se importam se gritam, se sujam a roupita no chão da loja ou se fazem um espetáculo digno de as fazer entrar diretamente no pódio de "piores mães do mundo". É não não e não. Ponto. "Já levamos aqui muita coisa, não vais levar mais isso", "Viemos buscar o que precisamos, isso faz-te dói dói". As explicações são muitas, ou então não, há super mães que dizem não e não tem de haver justificação. Eu sou a mãe e mando. 

Por outro lado temos aquelas mães que quase parecem morrer de vergonha que os filhos façam uma fita mas também não querem ser elas a dizer não. "Pergunta a senhora se deixa", "olha que a senhora vai-se zangar contigo". Primeiro: Senhora??? Tenho 23 anos, não me chamem senhora por amor da santa. Segundo: Não olhem para nós com cara de súplica como se tivéssemos obrigação de lhe dizer não. Sê firme mãe, é não não e não. As pessoas atrás na fila vão pensar que o seu filho é mal educado? Elas vão mesmo pensar isso por isso não vale a pena tentar evitar, o demónio bebé tem de perceber que não pode levar o supermercado todo e tem de ser a mãe a dizer isso. Porquê? Eu já ajudei montes de vezes nessa situação, com a minha voz "querida" lá digo "olha não podes levar isso, isso não está à venda" e o/a miúdo/miúda olham para mim com cara de "de onde é que saiu este ET?". É inútil sinceramente. Eles vão chorar, a mãe vai ficar toda incomodada sem saber o que fazer e a criança vai acabar por levar o que quer. 

Sejam firmes mãe, os supermercados são malvados e põem essas tentações para os vossos filhos vos fazerem passar vergonhas mas lembrem-se, vocês são fortes, capazes e determinadas . Juntas (salvo seja que ainda não sou mãe) venceremos este flagelo (e de preferência não metam as operadoras de caixa ao barulho sim? Adoramos ver-vos a gastar dinheiro e a contribuir para o nosso ordenado mas é daquelas situações que por muito que queiramos nunca conseguimos fazer melhor que vocês). 

 

 

 

 

 

 

Boa semana que se aproxima e façam destes próximos 7 dias 7 oportunidades de serem felizes 

Seremos todos terroristas?

Janeiro 27, 2017

Filippa

Tem estado um frio desgraçado, sou de Lisboa e estas temperaturas de 4ºC têm sido o descalabro para mim. Adoro o inverno mas é quando estou com a minha camisola quentinha que tem um robe polar por cima, ah e claro, tapada com o belo do meu cobertor. É bom este conforto todo não é? Ouvimos falar dos sem abrigo que em plena Lisboa passam um frio de morte, e nós sentimos pena, é instintivo mas sentimos a nossa pena dentro do nosso lar com os nossos aquecedores a manter a temperatura habitável dentro de casa. 

Ligamos a tv, está quase a começar o telejornal e como somos todos pessoas com uma vida, tiramos aquele momento para nos manter atualizados sobre o que passa no mundo e lá estão as noticias. Os refugiados estão a morrer de hipotermia na Grécia, em pleno inverno, em plena europa, esse continente moderno e avançado. Coitadinhos, passaram por tanto, fugiram do seu país à procura de uma vida melhor e lá estão aquelas almas a morrer ao frio, não há ninguém que faça nada? Parece impossivel que esses gigantes europeu assobiem para o lado dizemos nós enquanto metemos mais lenha na fogueira ou aumentamos um pouco a intensidade do aquecedor no já quentinho lar. 

Isto faz-me pensar, seremos todos terroristas? Há aqueles terroristas que nos aterrorizam, meu Deus, um ataque em França aqui tão perto, depois seguiu-se Bélgica e na Siria ataques são o pão nosso de cada dia. Acreditam se disser que tenho medo de andar de metro? Ando todos os dias, é a maneira mais fácil e rápida de chegar ao trabalho mas passou a ser algo na minha rotina que me aterroriza. No outro dia o metro fez uma travagem brusca dentro do túnel e ficou ali parado dois minutos e foi quando eu entrei em pânico que percebi que estava a ganhar medo. Fiquei verdadeiramente assustada, olhei para todo o lado com medo que tivesse acontecido o que já aconteceu noutras cidades europeias. Também já aconteceu as luzes apagarem-se todas e eu só me lembrar de pensar 'por favor não por favor não'. São coisas que acontecem principalmente no metro de Lisboa que cada vez está mais degradado mas devido à maneira como se pôs o mundo, tenho medo. Tenho medo quando as carruagens estão a andar rápido, chego ao cúmulo de estar a atravessar a zona da linha vermelha em S. Sebastião e quando vejo o metro a chegar 'será que algum dia nos vai calhar a nós?'. 

O mundo foi tomado pelo medo, uns fogem do terror e outros temem que ele tenha chegado. Eu ganhei medo mas recuso-me a mudar a minha vida por isso, talvez por teimosia ou comodismo, ando todos os dias de metro e andarei (pelo menos enquanto aquelas carruagens não se desmontarem todas). 

Seremos todos terroristas? É que vamos ser honestos, enquanto eu escrevo e alguém lê este texto no quentinho da sua casa, alguém está a morrer de frio em campos de refugiados ou noutra parte do mundo um sujeito rebenta ou desencadeia um tiroteio em nome de uma crença. 

O que nos vai acontecer daqui para a frente? Nos Estados Unidos da América tem-se um presidente que fala em registar os muçulmanos e na minha opinião é uma ideia gravissima. Já argumentaram comigo a dizer que será mais fácil identificar os terroristas. Brincamos? Andamos a brincar com isto? A sério que estamos a dizer que os terroristas são apenas os muçulmanos? Nós somos o quê? Quando permitimos que pessoas de carne e osso como nós morram de frio em pleno século XXI na nossa tão estimada Europa somos o quê? Uns bondosos? Isto é simplesmente inacreditável e não sei mesmo para onde caminhamos. Pensar que as coisas podem caminhar a passos largos para situações bem mais graves faz-me ter pena de nós, somos uns miseráveis que não sabem viver conforme as crenças e hábitos dos outros, fomos abençoados com a capacidade de pensar, de sermos inteligentes mas cada vez se prova mais que foi um erro tremendo.

Isto é apenas um desabafo, decidi que em 2017 queria encher a minha vida com mais solidariedade e compaixão, não faz sentido andar nesta vida e ser sempre 'eu eu eu e depois os outros' e ando a pensar nisto a algum tempo, há tanta coisa que podemos fazer se assim quisermos. De mim para mim, acho que está na altura de deixar-me de pensamentos e passar a acções, mesmo ajudando ou doando um bocadinho, o meu bocadinho pode ser tanto para outras pessoas.

Vamos fazer de 2017 o ano de voltarmos a ser humanos?  

Agora sim tenho um emprego

Janeiro 26, 2017

Filippa

Caixa #3 

Comecei a trabalhar há quase três anos mas só hoje me senti uma verdadeira trabalhora. Porquê? Perguntam vocês.

Ora, não é que hoje tive a distração do ano, aquela que me põe no primeiro lugar da liga dos parvos?

Como estava a chover tirei os óculos e guardei-os na mala quando ia para o trabalho, cheguei lá, fardei-me e fechei o cacifo. Voltei atrás porque não consigo simplesmente andar sem óculos e não é que no meio da converseta deixei a chave do cadeado dentro da mala... Dentro do cacifo? 

Eu, Filipa, a nervosinha, a stressadinha do caroço, claro que ficou logo passada da cabeça. Ainda por cima ninguém tinha nenhuma ferramenta na loja. Como assim ninguém tem a porcaria de uma ferramenta? Tu tinhas Filipa? Eu não mas os outros obviamente que têm obrigação de as ter. 

Sorte que o meu pai foi lá, assassinou o cadeado e yeaaaaah as minhas coisas voltaram para mim. Meu rico casaco, botas e mala. Nunca temi por vocês como hoje 

Lá em casa mora um cão novo.

Janeiro 23, 2017

Filippa

Alguém se lembra deste post? Foi dificil dizer adeus ao Max, o pug que ia praticamente todos os dias à loja, e por isso decidi escrever sobre ele. Apesar de não ser um cão pertencente à minha familia, achei que ele merecia algumas palavras, ele e a dona que tanto o amava. 

Pois bem, há novidades nesse campo. No final da semana passada a dona do Max apareceu por lá toda sorridente, chegou ao pé de mim e disse "já tenho um cãozinho novo". É claro que fiquei contente, no tempo que passou entre o Max e este novo cão a senhora andava muito triste, não foram poucas as vezes em que ela me confidenciou que sentia muito a falta dele, que apesar de nenhum cão substituir o seu pug que tinha a necessidade de ter um "novo". O "novo" apareceu, foi o marido que lhe deu e a senhora voltou a sorrir. É bebé, ainda não pode vir à rua porque não tem as vacinas mas ela já me prometeu que um dia vai lá mostrar-me o bichinho. O colega que estava comigo até gozou comigo e disse-me que eu ia ser a madrinha de batismo do novo cão. Eu não me importaria nada se isso realmente fosse uma coisa concretizável.

Faz-me sentir bem saber que estas pessoas que passam na minha vida às vezes miseros minutos encontram algum consolo e conforto nas coisas que lhes fazem bem. Esta senhora, de aparência falando, não é uma pessoa que passe dificuldades, tem empregada, é reformada e muito bem vestida mas ainda assim encheu um bocadinho da sua vida com mais felicidade quando "ganhou" um cão novo. Não é maravilhoso este mundo? Podes ter tudo mas ainda assim só te sentires bem com estas "pequenas" coisas e companhia.

Fico feliz por ela e tenho a certeza que o novo cãozinho ganhou uma grande companheira!

A vida não está fácil para ninguém.

Janeiro 20, 2017

Filippa

Caixa curta #2

A fila não está muito grande, é fim da tarde e chegam dois rapazes para pagar, contas separadas claro.

O primeiro compra só um pacote de bolachas de pequeno almoço da belvita. São só 2€ e pouco mas paga com o cartão multibanco. Ora o nosso terminal de pagamento já teve melhores dias e basta o cliente meter o cartão mal ou antes do tempo e aquilo simplesmente bloqueia. Claro que bloqueou com o rapaz.

- Isto não está mesmo a correr bem, primeiro somos eliminados da taça de Portugal e agora bloqueamos a caixa, só faltava a menina ser benfiquista e ser você a safar-nos desta. 

Eu claro caladinha que nem um rato, sou benfiquista ferrenha. É caso para dizer que a vida não está fácil para ninguém, principalmente para os sportinguistas 

O que vale é que os rapazes estavam cheios de boa disposição 

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D