Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

De Ténis e Livro na Mão

Façam o favor de ser felizes!

De Ténis e Livro na Mão

Façam o favor de ser felizes!

As formações que deveríamos realmente ter.

Março 27, 2017

Filippa

A loja onde trabalho foi para remodelação e como não sabiam o que fazer connosco mandaram-nos para uma formação de dois dias. Uma semana antes da loja fechar começámos a avisar os clientes habituais para entre dia x a y não irem à loja porque ela estaria a receber obras. Como é normal as pessoas perguntaram-nos o que fariamos nós, se ficariamos uma semana de férias (como se alguma vez eu fosse gastar uma semana de férias em março ou eles oferecerem dias a seja quem for) ou se iriamos trabalhar para outras lojas. Nós lá respondemos que iriamos ter dois dias de formação e depois iamos ajudar a "ajeitar" a loja, a maioria apenas sorriu e seguiu com  a sua vida mas outros olhavam e ainda diziam "formação? Como se vocês precisassem de formação para passar uns artigos na caixa". Caro cliente concordo consigo, efetivamente não há muita ciência em passar uns artigos pelo leitor e achar que isso é o que fazemos oito horas por dia talvez mostre mais ignorância do que pensa mas tem toda a razão, há efetivamente formações que nos deveriam ser dadas e eu vou apenas enumerar algumas:

1. Curso intensivo e condensado de psicologia: A formação foi apenas de dois dias mas acredito que se tivessem dado a mim e aos meus colegas uma noção básica de psicologia e da nossa formação psicológica enquanto seres humanos teria sido dos dias mais úteis dos últimos anos. Voltando a si caro cliente, talvez não faça ideia as pessoas que "nos passam pelas mãos" que precisam muito mais do que o arroz ou dos ovos que vão pagar. Não faz ideia das velhotas que se encostam à nossa caixa e começam a falar dos seus problemas, nós lá tentamos dar alguma atenção mas o trabalho acumula-se e efetivamente não nos pagam para estar à conversa. 

2. Formação em "como mandá-lo à fava sem que você perceba": Caro cliente não faz ideia como seria útil alguém nos dizer como usar e abusar de uma lingua portuguesa mais erudita para que mandássemos pessoas como você à fava e você ainda assim não percebesse. É verdade que o cliente é a razão de estarmos ali e que se começarmos a mandar este e aquele para plutão e marte não vai sobrar ninguém que justifique o nosso ordenado mas há limites certo? Eu sou uma pessoa bastante calada, quando há clientes que passam os limites a nivel verbal eu prefiro manter o silêncio e fazer aquele ar de parvinha do que entrar em discussões. Não quero que peça o livro de reclamações e tento lembrar-me sempre que estou a representar a empresa e a minha má conduta afeta o meu empregador tal como afeta futuramente outros colegas meus mas bolas, merecemos respeito certo? Temos direito a replicar e dizer uma ou duas que arrume com a pessoa certo? É que as pessoas depois ficam muitos ofendidas porque parece que não disseram nada e nós é que, para além de sermos uns lerdos que passamos os dias a passar artigos nas caixas, ainda temos a ousadia de responder a quem lhes dá de comer. 

3. Formação em anatomia mágica: Caro cliente que vai à loja todos os dias e vê exatamente as mesmas pessoas, somos poucos, a empresa recusa-se a meter mais gente e cada vez nos exigem o trabalho de um batalhão. Quando vê a loja um bocadinho mais desarrumada ou mesmo suja, é o primeiro a reclamar e a dizer que sempre que vai a lojas daquela marca é tudo um nojo pegado mas quando vê tudo limpo, organizado e arrumado já não é capaz de reconhecer o bom trabalho certo? Digo-lhe caro cliente que pensa que não há ciência nenhuma em passar artigos no leitor, os dois dias de formação teriam sido imensamente úteis se nos tivessem ensinado a arte de clonagem instântanea ou réplicas temporárias. Quando temos 50 ou mais coisas para fazer dava tanto mas tanto jeito. Acredito que apanhando nós o jeito as lojas nunca estariam fora dos eixos. 

4. Formação em memória fotográfica: Ora caro amigo esta é fácil certo? Não sei se é destes mas quando nos vêm perguntar se determinado artigo está em promoção nós ou respondemos que sim senhor está em promoção ou temos de ir confirmar. Até aqui tudo bem, quer dizer, eu não sou nenhuma máquina. O pior é quando dizem "mas não trabalha aqui? Não devia saber isto?', claro que devia mas não sou capaz. Lamento, é uma capacidade que não me atingiu na sua plenitude. Sei no geral o que está em promoção mas não sou capaz de decorar tudo, peço muitas desculpas se tenho de me auxiliar da caixa registadora ou do panfleto. Lamento mesmo que tenha de ser atendido por uma burra como eu. 

5. Formação em ensino: Desculpem mas às vezes dá mesmo vontade de perguntar "olhe por acaso sabe ler?". Sou a primeira a dizer que as promoções muitas vezes não são claras, no mesmo expositor (e principalmente quando são seguidas) as coisas tornam-se confusas, muitas vezes acontece a promoção estar em baixo de um produto que não é o assinalado no papel (acontece muitas vezes e acontece apenas porque a maneira como as promoções são assinaladas não é a melhor) mas muitas das situações podiam ser evitadas se as pessoas simplesmente lessem. Se no papel está escrito arroz não podem esperar levar esparguete. As pessoas não têm obrigação de ler e que remédio temos nós de nos aguentar com as queixas mas acabaria por nos poupar a nós e aos clientes se as pessoas simplesmente lessem e tentassem entender um bocadinho da dificuldade em colocar os preços. Acreditem que nós não temos prazer nenhum em enganar ninguém, quando ficamos até às nove ou dez da noite a trocar preços enquanto muita gente já está em casa com o jantarzinho no bucho não é para aldrabar ninguém, temos maneiras muito mais interessantes de ocupar o nosso tempo.

6. Formação em "lembra-te da boa educação que os teus pais te deram": Barulho gera barulho, gritos geram gritos e gritar com um cliente normalmente gera queixa no livro de reclamações e com razão. O cliente não tem sempre razão mas em último caso é o nosso objeto de trabalho e por isso tem de ser tratado com cuidado. Por vezes é dificil, temos de engolir muitos sapos para não desatar aos berros com a pessoa quando sabemos que temos razão. Não há nada pior que um cliente que chega ao pé de nós e para fazer valer o seu ponto de vista mente e diz coisas que nós sabemos que é impossivel de ter acontecido. Pior é nós sabermos que está a mentir e mesmo assim temos de dar o braço a torcer porque é o nosso trabalho, vamos fazer o quê? No fim de contas é a imagem da empresa que está em jogo e não podemos virar a barraqueira que há em nós. Há momentos que nos saltam a tampa, a mim o pior que me podem dizer é "já tenho tido muitos problemas com a vossa empresa, vocês anunciam uma coisa e depois fazem outra, gostam de enganar as pessoas". O senhor ou a senhora acha mesmo que eu gasto horas do meu dia a atender outras pessoas para as enganar? Acha que tenho assim tão pouco respeito pelo outro que quero impingir x a preço de y? Conheço-me a mim e conheço os meus colegas e quando alguns clientes se saem com estas tiradas eu atinjo o ponto de ebulição. Não faço ideia o que se passa nas outras lojas do grupo mas sei bem a equipa com que trabalho e chamarem aquelas pessoas de desonestas causa-me revolta. Precisava, precisava mesmo que me ensinassem a não me importar com isto mas torna-se impossivel e se fosse daquelas pessoas explosivas tenho a certeza que há muito tempo que estava no desemprego. 

Fiquei triste com o comentário do tal cliente, triste pelo comentário e pelo tom dado. Foi de menosprezo e gozo. O senhor vestia um fato de aspeto caro e aposto que seria advogado ou médico, naquela zona é só gente fina mas porque raio teve tão pouca consideração por nós? Não é preciso curso superior para trabalhar num supermercado, basta saber ler e fazer contas e não pretendo com este texto dizer que ser operador num supermercado é o trabalho mais dificil do mundo porque não é mas também não é a coisa mais fácil do mundo. O nosso alvo não são as pessoas de certa faixa etária ou com determinados interesses, o nosso alvo são todos e isso torna-se muito amplo e complicado. 

Hoje em dia parece-me que ainda há muito preconceito com certas profissões e o preconceito faz com que não se tente perceber todo o trabalho que há por trás do resultado final. É triste mas acredito que um dia isso não será assim. Até lá... Boas compras a todos e da próxima vez que foram a uma loja ou supermercado tentem não mandar as coisas para o tapete ou estar ao telefone e não nos ligar nenhuma, a gerência agradece  

P.S- Pode não parecer mas adoro trabalhar com o público;

P.S 1- O texto pode transparecer o contrário mas sou mesmo uma colaboradora calma e até bastante simpática ;

P.S 2 - Não sou nenhuma revoltada com a vida .

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D