Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

De Ténis e Livro na Mão

Façam o favor de ser felizes!

De Ténis e Livro na Mão

Façam o favor de ser felizes!

Chorei? Quase

Fevereiro 15, 2017

Filippa

Sabem quando têm a certeza que este ano já vai ser melhor que o anterior só por terem realizado algo que queriam há muito tempo? 

Na semana passada ganhei essa certeza, e com um objetivo tão simples que parece ridiculo dizer que andei meses e anos para começar. 

Desde que terminei o secundário que sempre me quis manter ativa no desporto, na escola não era aquela rapariga que era sempre a primeira a ser escolhida para as equipas ou a estrela da companhia, mas sempre fui a que era escolhida logo a seguir, não participava nos corta-matos por pura preguiça mesmo quando se tinha o professor a dizer que isso levantava a nota (TRETAS MEUS SENHORES!) mas no sexo feminino era quem conseguia das notas mais altas a educação física. Posto isto, ao terminar o 12º ano decidi que ia continuar a exercitar-me, sendo magra mas não daquelas magras que comem três mundos e ainda perdem 10 kg queria manter a forma. O problema é que durante anos fiquei-me pelo querer, não era este mês que já ia a meio, começava no próximo mas como no próximo não começava logo no dia 1 deixava para o seguinte e por aí fora. Andei nisto durante ANOS. É ridiculo dizer isto, porque será que é mais fácil arranjarmos desculpas do que simplesmente fazer? 

Os anos foram-se passando e eu continuei a desleixar-me, como não sou muito de engordar nunca senti muito o peso de enfardar e não correr a seguir, claro que sentia sempre um peso na consciência enorme mas isso nunca foi suficiente para me meter a mexer. 

2017 parecia ser mais um desses anos, passou o mês de janeiro em que na minha cabeça vinham mais pensamentos de 'começo para o próximo mês', passámos a fevereiro e a meio da semana passada fiz download da aplicação da nike para corredores e mais uma vez 'para a semana vou'. Não! Recusei-me a fazer isto a mim própria, não é para a semana, é amanhã! 

Finalmente decidi-me a fazer algo por mim, deu-se o clique na minha cabeça, porquê para a próxima semana e não já amanhã? Porque é que continuo a fazer isto a mim própria? Se quero tenho de fazer, se sei que vai fazer bem ao meu corpo e à minha cabeça não vou começar para a semana, vou começar amanhã. Assim foi, acordei cedo, tomei o pequeno almoço, esperei aproximadamente uma hora, vesti a única roupa (comprada há dois anos) que tinha para correr e fui. 

Só para verem o quanto acreditava em mim mesma, comprei as únicas calças de treino que tenho na decathlon na altura dos saldos e acabei na primark a comprar uns ténis que devem ser tudo menos o calçado menos indicado. Naquela altura eu já sabia que não o ia fazer por isso gastei o menos dinheiro possivel na roupa e ténis. Na semana passada nada disso importou, é a única roupa que tenho? É a roupa que vai. 

Corri muito? Não, corri 1 km e qualquer coisa em 10 minutos e durante toda a corrida só pensava 'onde é que tinha a cabeça? Isto é de doidos, devia estar maluca quando pensei que podia virar atleta.' No fim? No fim senti uma satisfação enorme, foi como se tivesse saído um peso de cima dos ombros. Este meu querer mas não fazer estava a criar-me muita ansiedade e tristeza, o facto de querer tanto uma coisa mas depois a preguiça levar a melhor estava a deixar-me num estado lastimoso, "porque é que os outros conseguem e eu não? porque é que sou tão preguiçosa que mais uma vez vou ser uma desilusão para mim e não fazer o que quero?" 

No fim de 10 minutos com o cabelo numa confusão, com suor por todo o lado quase chorei porque não importa se estou em muito má forma (na verdade importa, estou um desastre!), importa sim que finalmente levei a melhor sobre um dos meus piores defeitos, a melhor parte de mim apareceu e disse 'mulher tens 23 anos, faz o que queres e luta por isso, hoje é correr amanhã serão outros objetivos". 

Desde esse dia já corri mais duas vezes e não é tanto o correr que me deixou feliz, claro que sim, cada corrida agora tem sido dolorosa, acabo com os pulmões quase a espreitar a liberdade mas mais gratificante que isso é saber que consigo, saber que sou capaz desde que assim o queira e essa mudança na minha mentalidade foi talvez a parte mais importante em todo o processo. 

Foram anos a fio em que a minha preguiça levou a melhor, acreditem que já chorei muito por culpa própria, por ser tão preguiçosa que ia deixando as coisas andar até um ponto em que já não era possivel fazer nada e o facto de ter feito isto, o facto de me ter desafio a mim mesma foi uma vitória para mim. Se consegui isto, se consegui vencer algo em mim própria então que mais coisas serei capaz de fazer? 

Não continuarei a correr para ficar mais magra, já o sou, continuarei a correr por mim e por tudo o que ainda serei capaz de fazer.

E vá.... Esta semana já comprei roupa nova de desporto, na decathlon sem ser na zona dos saldos, um progresso enorme 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D