Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

De Ténis e Livro na Mão

Façam o favor de ser felizes!

De Ténis e Livro na Mão

Façam o favor de ser felizes!

O inconveniente de não saber o que dizer.

Dezembro 02, 2016

Filippa

Eu costumo dizer que ser funcionária de um supermercado ainda para mais quando tens de ficar na caixa é uma aventura. Tu finges que não ouves certas coisas, deixas alguns clientes pensarem que és uma lerda qualquer que não percebeu o que ele disse só para no fim teres percebido tudo e preferido ignorar para não responder, conheces as velhotas que por lá passam só para comprar o seu pão, os sem abrigo que gastam os poucos euros que têm em coisas básicas, os engravatadinhos que são muito simpáticos para ti ou por outro lado te olham sobranceiramente, as empregadas domésticas que levam 20€ para pagar compras de 3€, os/as senhoras/senhores do escritório que aproveitam o tempo livre para ir lá comprar uma coisa rápida para o lanche, as pessoas que não chegas a atender mais do que uma vez porque só estavam ali de passagem, os universitários que vão comprar mantimentos para uma noite em claro e todas outras personagens que só conheces mesmo quando o teu trabalho passa pelo atendimento ao público. 

Tudo isto se atende bem, tu sabes pela forma como a pessoa te responda se é simpática, se está com pressa ou poderia ficar ali a tarde toda e só pelo tom de voz tu recebes as ferramentas necessárias para a despachares da melhor maneira possivel. Nada disto acontece quando me aparece pela frente a pior situação de todas: o cliente está ao telefone. Não sei como falar, há coisas que tenho de perguntar tais como se tem cartão, se deseja saco ou contribuinte na fatura. Óbvio que quando falo as pessoas ignoram-me, quando não falo a pessoa lá vê que está a empatar a fila, desliga o telefone e lá vem o 'oh menina quero um saco e contribuinte na fatura'. Eu inspiro profundamente, largo o meu melhor sorriso como se a conversa telefónica da pessoa não tivesse empatado todo o meu serviço e lá dou o saco e peço o número de contribuinte. 

O problema é: como é que devemos agir? Passar apenas os artigos e dizer o valor ou fingir que a pessoa não está ao telefone e conversar como se nada fosse? Confesso que às vezes sinto que estou a ser mal educada porque estou a interromper a conversa da pessoa mas porra só estou a tentar fazer o meu trabalho! Isto é um problema de consciência sério, peço a todos que da próxima vez que foram fazer compras tenham isso em atenção, não falem ao telefone na hora de pagar, estão a constranger a colaboradora que não vai saber como agir com medo ou de ser ignorada ou de levar com resposta rispida quando já passou a conta para a fase de pagar e ver o cliente pelas costas. 

Proposta de lei escrita e desenvolvida apenas por mim mas que aposto que daria jeito a muito trabalhador por esse Portugal fora: Proibido todo e qualquer ato de comunicação móvel aquando do momento de pagar as suas compras numa caixa. 

As operadoras de caixa deste país agradecem. 

 

4 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D